solidão

um cão latindo na madrugada
sem dono, sem portão para entrar
só
acompanhado pelo porteiro da noite
de um prédio de apartamentos
que o deixa ali
vigiando outros solitários

a ave rara
a planta singular
o animal quase extinto
o que está no topo
este planeta azulzinho

talvez este universo
talvez um disco voador...

e a solidão
de quem traça estas linhas
tecendo poema
como companheiro

Léo
Publicidade

Um comentário em “solidão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s