desabrigo

destruição
por toda parte, destruição.
cravado em mim,
correntes.
a vida presa num círculo vicioso.

pronta para renascer,
na tristeza do não,
envelheci

o desejo da revolução
lateja
feito ferida em aberto

a barbárie instalada
coibindo o novo

no caminho do matadouro
a impotência de rebanho

mas o poema veio!

Léo

6 comentários em “desabrigo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s