Augusto

Despertou na madrugada com um leve incômodo. Comichão no tornozelo. Sonolento voltou ao sono. De manhã abriu os olhos e sorriu lembrando de seu sonho: era flor. Ainda na penumbra caminhou até o banheiro, se olhou no espelho. Sentia-se diferente. Acendeu a luz. Seu rosto parecia tatuado. Esfregou os olhos. Se olhou novamente. Foi até o armário do quarto e abriu a porta que tinha um espelho maior. Seu corpo todo tatuado. Passou a mão. Escancarou as janelas para se ver melhor: sob sua pele ia deslizando galhos, ramos, rumo à cabeça. Pensou que ainda estava sonhando. Andou pela casa, acendeu um cigarro, tomou um café. Voltou ao espelho. Os ramos se alastrando por seu corpo. Percebeu que junto aos seus cabelos longos, tinham brotos e flores miúdas. Olhou pela janela e o mundo continuava igual. Mas viu pequenas abelhas, borboletas, colibris, se aproximando, rodopiando ao redor de seu corpo. Na mão, uma joaninha passeava devagar.

Augusto não teve mais dúvidas. Estava num mundo flutuante: humano e semente.

Sorriu.

Léo

10 comentários em “Augusto

  1. “AFLORISMO” é um poema que estou escrevendo faz alguns dias e tem lampejos como o “Augusto” de literalmente AFLORAR, ser mente, do brotar. Se eu gostei minha amiga?! Eu gostei foi por demais da conta… põe gostar nisto! Lindo, maravilhoso! Obrigado por compartilhar sementes, minha cara… que seu dia seja iluminado. Beijo no coração

    Curtido por 1 pessoa

    1. Achei estranho, entre tantas desgraças e angústias, aflorar de mim este pequeno conto lúdico.
      Mais estranho, alguém gostar. E, mais surpreendente, seu comentário. Obrigada.
      E mais estranho você estar escrevendo um poema… Estamos em sintonia, meu caro. Bom demais.
      Abraços poéticos.

      Curtido por 1 pessoa

      1. E mais estranho ainda minha irmã enviar o vídeo da flor que sai do canteiro no sol escaldante para ir para o outro que está sendo irrigado, tudo ao mesmo tempo em que lia seu conto. AFLORISMO (aflorar em aforismo) nasceu da ideia de nossas raízes se aprofundarem no escuro do substrato da mente, buscando os mais diversos nutrientes, para crescermos plantas fortes até nos tornamos flores e frutos e enfim tornarmos semente (fecha aspas rsrsrs). Ser mente e aflorar, metaforicamente falando. Acredito que estamos em sintonia sim, minha cara amiga… e isto é bão demais da conta, pode ter certeza disto! Outro abração poético!

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s