Calabouço

No calabouço
- a pão e água -
a ilusão 
em rasgos pelas frestas
vem brincar com meus sentidos

você roçando meus cabelos
lambendo minha nuca
eu me perdendo entre as sombras da noite
a lua se esconde com receio de atrapalhar

abro os olhos e...

só eu mesma com vontade de te conhecer

("Eu ando sozinha,
ao longo da noite.
Mas a estrela é minha"
Canção da Tarde no Campos, Cecília Meireles)

Léo

2 comentários em “Calabouço

  1. Só de ouvir o nome Cecília Meirelles, quando era criança em Barbacena, sentia arrepios… Perto de casa tinha uma clínica de tratamento mental, cujas pessoas, ali internadas, vez ou outra fugiam, e nos amedrontavam…
    Hoje me delicio com os versos magníficos dela.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s