Janela secreta

Meus olhos estão levemente marejados
O choro agora já perdeu a força
Andei perambulando por uma realidade paralela
Um portal sem lastro
E o real é uma pedra áspera

só tenho esses versos
um coração outrora atrofiado
que pulsou numa esperança tola
e dói

Mas tempero a carne direitinho
A carne é real
Acendo um cigarro
Ah, portal que se mostrou abismo!
Descasco cebolas
Ah, realidade paralela sem sentido!
Corto abóboras
Pedra áspera
a carne é real

Janelas secretas, me esqueçam!

Léo

 

5 comentários em “Janela secreta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s