Evandro

“Sonho que se sonha só
é só um sonho que se sonha só.
Mas sonho que se sonha junto
É realidade”
Prelúdio, na voz de Raul Seixas.

 

Evandro e sua amiga se conheceram em 1980. Numa faculdade de freiras, que de caridosas não tinham nada. Os dois, psicologia; ela, primeiro ano, ele, no segundo ou terceiro. 

Evandro era esguio. Sempre de camisa de manga curta, calça jeans, cinto de couro, bolsa de couro, sandálias de couro. Bigode vasto, como a cabeleira negra e cacheada. Sorriso sonoro e largo. Belo.

Evandro e sua amiga tinham outros amigos: a revolucionária e líder, e sua melhor amiga que lembrava Rita Lee, cabelos longos e franja; a modelo que amava o poeta – que a amava, mas era casado; um que desenhava e era revoltado e engraçado; um reformista, mais velho. E um revolucionário, direção, cínico e debochado, e muito amigo da amiga.

Evandro e a amiga participaram ativamente de grandes assembleias nas escadarias da escola paga. Ajudaram num movimento de boicote às mensalidades. Estavam numa grande passeata pelos corredores e andares dessa faculdade, posteriormente universidade, porém nunca mais teve atos tão corajosos.

A amiga colaborou numa convocação ao povo de uma passeata que resultou em prisões e vigília dos estudantes. A passeata aconteceu e era contra o presidente da república, general, que iria inaugurar a rodoviária da cidade. Evandro devia estar lá. Quem não faltou e liderou e discursou numa praça cercada de polícia, era o amigo revolucionário, cínico e debochado e muito amigo da amiga.

Evandro morava numa república. Ele e a amiga percorriam a pé o trajeto longo da escola até o centro da cidade. Eles paravam numa padaria e comiam sonho… e sonhavam e sonhavam… E iam em festas. E bebiam aos montes. E desprezavam o comum.

A amiga mudou-se de cidade. Evandro e ela trocavam cartas – aquelas de papel, tinta e selos. Ele mandava letras de música de Ednardo. A amiga guarda até hoje.

Quando a amiga se casou numa cerimônia simples de cartório, Evandro foi sua testemunha. Quando nasceu o segundo filho da amiga, Evandro não foi.

Os céus o tinham arrebatado.

Há de se entender que os céus o quisessem. Evandro tinha um abraço tão bom…

Léo

7 comentários em “Evandro

  1. Como Calderón de la barca disse: “Sonhos são sonhos”. E lá os sonhos de Evandro foram quebrados, quando ele decidiu continuar sonhando sozinho, longe da multidão enlouquecida e deitado em uma nuvem. Adoro as histórias que acompanham essa sensibilidade a flor da peleà.
    Gostei e li e reli.
    Um grande abraço meu querido e apreciado Leo.
    Manuel

    Curtido por 1 pessoa

    1. Linda imagem de Evandro “deitado em uma nuvem”… Porém o vejo cercado de anjos querendo brincar com ele…
      Ah, como gosto quando escreve “li e reli” meus escritos, pois é o que faço com os teus: leio e releio…
      Poeta, eis o que és!

      Quero compartilhar contigo um poema de Maria Cecília Nachtergaele:
      “Eu procuro alguém para fazer uma poesia comigo.
      Tem que ser terno e triste.
      É essencial que seja triste.
      Os gestos de poeira. Muita saudade e medo. Os olhos de até logo com jeitinho de adeus.
      É preciso ter jeito de quem está querendo ser criança outra vez.
      E as mãos de jardineiro quando está chovendo.
      Que saiba muito como começar a sorrir, mas nunca saiba como começar a falar.
      Mas a maior urgência que existe, o essencial, o muito essencial, é ser imensamente triste”.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Veja quais são como son las coincidencias.. Acabei de publicar um poema sobre essa chave agora. Triste, mas com amor ao seu lado.
        Às vezes não há coincidências entre nós. Deve haver algo no universo que nos mantenha conectados ao pensamento. Já existem muitas similitudes e me enche de profunda emoção ter encontrado uma mulher excepcional, como você, que preenche meus espaços tristes ou alegres. O poema de seu amigo é muito especial. Com essa tristeza que gosto de apreciar nos meus poemas. Obrigado Leo por existir.

        Curtido por 1 pessoa

      2. Oh, meu querido Leo. Você é puro sentimento. Você vai me fazer chorar também. essa linha fina que nos une, nos torna mais sentimentais. Um grande beijo e esse momento nunca acaba

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s