Marcha

“Também não pretendo nada
senão ir andando à toa (…)” Cecília Meireles, Marcha, trecho.

 

Queria que estivesse aqui comigo.
Te mostraria os quadros nas paredes

Te conduziria até a varanda
Pra ver comigo
céus, lua, sol, estrelas, noites, amanheceres…
Conheceria as madrugadas
Revoada de pássaros, garças entrincheiradas em árvores…

E o cômodo onde passo boa parte do meu dia
Livros, escritos, fotografias
Pensamentos…

E te arrebataria para o meu quarto
Para marchar dentro de mim.

Léo


 

12 comentários em “Marcha

  1. Uma proposta para levá-lo com os fios do seu verso, até que eu mergulhe nas profundezas do corpo e da alma.
    Mas que delícia expressar uma paixão. Adorei seu poema, Leo.
    Um grande abraço para você, enquanto eu abraço sua poesia.
    Manuel

    Curtido por 1 pessoa

      1. Sim, nossas almas, nossos anseios, devaneios, sonhos, vontades…. “Não são muitos os que compreendem… a solidão quero dizer” (Um crime entre cavalheiros, John Le Carré).

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s